A RACIONALIZAÇÃO DO MILAGRE




Não. Eu não duvido dos milagres. Falas do pensamento, da consciência e da moral como resultado do eterno milagre da vida, da existência. Eu não duvido dos milagres, apenas racionalizo-os. Não duvido da própria existência, tão certa como estar a falar contigo. Isto é consciência, isto é pensamento, isto não é cegueira nem distância. Cego é aquele que não vê com nenhum dos bem mais que 5 sentidos. E aquele que não sente. Nada. Nem miséria nem saudade. Nem alegria nem paixão. Eu não duvido dos milagres. Nem da vida. Nem da amizade, quase impossível de racionalizar. Aquela que não vem dos laços. Aquela que apenas se sente com os sentidos para além dos 5. Aquela que já existe antes de se perceber. Eu não duvido destes milagres. Racionalizo-os enquanto procuro os restantes sentidos.


2 comentários:

Momentos Anónimos disse...

Puxa Nuno, consegues supreender-me sempre.. estou verdadeiramente apaixonada pela tua escrita..

bjs
cp

NS disse...

Querida Cristina,

Enquanto me massajas o ego, alentas-me a escrita... :)))

Bjs e Muito Obrigado,
Nuno