Acto Violento

Maria sentia as mãos fortes no pescoço, a apertar a traqueia, a impedir o normal fluxo de ar que deve viajar para garantir a vida. A cara, empurrada violentamente contra a parede do prédio, atrás dos elevadores velhos fica marcada pela parede rugosa e estragada; um torpor generalizado assalta-a e endurece-lhe os músculos dificultando os movimentos.
A blusa, branca e fina, a permitir observar a silhueta de um peito nu é puxada por trás, arrancada pelos botões que cedem à força do indivíduo que a deseja e manieta. Depois da garganta, são os seios de Maria que sentem o apertar descuidado do homem que a empurra e parece aumentar o seu desejo proporcionalmente à violência do acto.
De mão esquerda nas suas costas a aprisionar todo o corpo contra a parede, o homem levanta a sua saia e acaba o que começou minutos antes.
Maria contorce-se e gira sobre ela balbuciando palavras, de olhos cerrados, de corpo tenso na média luz que a envolvia; o despertador toca; Maria levanta-se com um sorriso de ter vivido uma experiência rara...

8 comentários:

Ana Castella disse...

Nem tudo o que parece, é... E tudo o que é, pode parecer o que não é. Nem tudo o que é violento é mau... E tudo o que é mau vem do amor...

:))))

NS disse...

Ana... :)))

Nem tudo o que é mau vem do Amor...
Enquanto tese, enfim, mas na realidade há coisas más que provém de outros sistemas, como o Amor nos dá coisas boas também.

Bj,
Nuno

Bianca disse...

Para lá do sonho, há o manifesto desejo. Que bom!
Beijo

NS disse...

Bianca :)))

Obrigado por teres reaparecido num espaço onde és sempre bem vinda.
Desejo, sim, exacerbado pela força do sonho.

Beijo,
Nuno

Monique disse...

Estranhamento acho este texto delicioso. Talvez porque seja muito gráfico, e a mente divaga por cada linha que escreves :)

Gostei***

beijinhos
Monique

NS disse...

Monique :)

Ainda bem que gostaste.
Este texto não passa indiferente. Ou se gosta de facto, ou arrepia.

Bjs,
Nuno

Escrava do teu amor... disse...

Te encontrei através do blog 2 minutos de pausa e parei para ler tuas prosas... Fiquei impressionada,admiro quem consegue dizer tanto em tão poucas linhas... Ainda não aprendi a fazer isto... Parabéns, bjs...

NS disse...

Escrava do Amor :)))

Antes de mais, obrigado por aqui teres vindo parar.
Entendo que aquilo que digo ou a quantidade de informação transmitida, terá mais a ver com quem lê do que com quem escreve.
É muito simpático da tua parte dizeres essas palavras.

Obrigado,
Nuno