As Crianças

Quieto, em ebulição de emoções, observo as caras deles.
As caras e as atitudes controladas que ofereceram como se de adultos se tratasse.
As mãos e os olhos prendem-se a uma consola de jogos;
a cabeça navega neste espaço novo tentando compreender se se pode considerar próprio ou não.
De quando em vez comentam inteligentemente uma qualquer observação, mas em balbucio de conteúdo cheio.
Mantenho-me quieto a acompanhar o evoluir dos seus sentidos desafiantes que aferem o tamanho do seu espaço.
Permaneço expectante do sucesso das relações, do sorriso espontâneo, do olhar desprotegido...

4 comentários:

Ana Castella disse...

A prol é sábia e serena... saudade imensa mas confiante... segura do amor... é tão simples!

NS disse...

Sábios, serenos e seguros... até pode ser.
Simples, nada disso.

Bjs

Anônimo disse...

Os filhos preenchem-nos, certo? Nem que seja a jogarem numa qualquer consola...
Como sabes, estou aqui...

HM

NS disse...

Meu amigo.
Preenchem-nos de sobremaneira.
Eu sei, eu sei e obrigado.

Forte abraço :)))