O Trilho do Caminhante

Ontem, no tempo, aproximei-me de ti;
Procurava um coração.
Encontrei-me um grande;
a cada hora nascia mais brilho e côr.
Deixei-te procurar o fundo;
Mostrei o trilho do caminhante;
Vês como vai ficando nítido?
Encontras o conforto dos prados,
o Sol reflectido nos riachos
e as estrelas a cercar a Lua?
Percebes a beleza de uma eternidade pintada
nessa tela tão cheia de tudo sem ilusão?
Poucas coisas ferem esta imagem sem mácula.
Poucas coisas ferem...

2 comentários:

Ana Castela disse...

Interessante esta definição do único acto exclusivamente humano: apontar com o dedo para mostrar. Muito bem imaginado. Parabéns!!


;))Bjs

NS disse...

Ana Castela :)))

Parabéns para ti, por teres visto algo que julgava suficientemente intrincado!
De facto este post fala sobre a convergência de 2 caminhos, 2 pessoas, que procuram e encontram o "EU". E precisamente desta forma - qual locomotiva - essas 2 pessoas à passagem desse trilho, vão coleccionando outras metas que por inerência se vão deparando e superando.

Bj