Actos Deturpados

A pintura de telas não decora; ilustra o que se vê ou o que será visto dentro ou fora dos sentidos que a interpretam.
A pintura dá vida, suga respirações, revela ilusões, renasce, adormece, aquece, serena, agita, destrói, edifica...
É o pincel do pintor que determina o que será visto pelos olhos ou pelo sentir de quem lhe dá vida; quem para ela olha e sonha.
Mas apenas o arquitecto poderá decifrar as cores daquela tela; as cores com que gravou aquelas emoções.
Os motivos, as escolhas, os porquês de quem pinta, não são os mesmos, sequer semelhantes por vezes, de quem os interpreta.

2 comentários:

Paula Raposo disse...

Tens toda a razão! Beijos.

NS disse...

Obrigado Paula.

Bjs