Uma Tarde Num Tribunal


Eram 15:00 horas de uma 6ª feira.
Uma porta blindada garantia a privacidade de inúmeras pessoas cuja parte das suas vidas amontoavam-se em armários e pelo chão.
Um balcão erguia-se entre nós e a devassa daquelas vidas.

Das oito pessoas autorizadas, naquele momento, a manusear vivências alheias e daquele lado do balcão permanecer, duas falavam da qualidade da chaleira que uma delas comprou e gentilmente a colocou ao serviço dos demais colegas de trabalho.

Outras três pessoas referiam atentamente algumas passagens do processo que analisavam e para o qual uma delas estaria a preparar documentação acessória para julgamento:
   - "(...) durante a reunião ele colocou-me a mão no colo"
   - "Olha, e aqui diz que a obrigou a ir jantar com ele. Não tive alternativa senão aceitar um jantar num dispendioso restaurante de Lisboa."
   - "Oh pá. Na volta ela gostou e agora a fulana quer sacar-lhe o dinheiro! Havia de ser comigo... Eu é que devia julgar casos desses!"
E assim continuaram a analisar atentamente o processo de Assédio, complementando o processo com toda a informação indispensável ao correcto decurso da futura audiência.

Outras duas conversavam sobre a camisola preta que - alegadamente - salientava os seios e a saia vermelha que comprou, uma delas, num qualquer armazém chinês por 9,00€. Não foi, contudo, perceptível se esse valor referia-se a uma das peças ou ao conjunto...

São 18:00 horas.
A oitava pessoa não fala;
Limita-se a escrever requerimentos em computador enquanto alguém combina ir à Zara.
A oitava pessoa nem olha para as restantes colegas, compenetrada no seu trabalho.
É Surda-Muda.
Percebi quando alguém lhe mostrara um pedaço de papel com uma curta frase escrita, e o funcionário em questão balbuciou algo quase incompreensível mas acompanhado de um enorme sorriso de satisfação, gratificante.
Posto isto, levanta-se e vai arrumar os bocados de vidas que estavam pelo chão, uma vez que na visita semanal de segunda-feira, protagonizada pelo "Chefe", nada poderia estar desarrumado, fora dos armários.

Assim todos brilham e podem ir de fim-de-semana com a certeza do dever cumprido.

4 comentários:

São Rosas disse...

Que interessante também para o nosso blog porcalhoto, Nunito ;O)

NS disse...

Sãozinha :)

Este para o "porcalhoto"?
Não quererias antes para o Persuscção?

Bjs

São Rosas disse...

Olha, dá para os dois.

NS disse...

Olha, quando terminar a Lua de Mel, já actualizo isso tudo... :))))))))))))


Beijo,
Nuno